quinta-feira, 25 de março de 2010

Jovens urbanos do mundo se reúnem em Assembleia

A população urbana hoje representa mais da metade da população mundial e o mês de março será fundamental para o debate sobre a situação das cidades no mundo. Para este mês estão organizados o Fórum Social Urbano (FSU) e o Fórum Urbano Mundial (FUM), que acontecem no Rio de Janeiro de 22 a 26 de março.

Precedendo o Fórum Urbano Mundial acontece ainda a Assembleia Mundial da Juventude Urbana. A ideia é que a Assembleia, antigo Fórum Mundial da Juventude Urbana, além da troca de nome, mude também sua metodologia. Ao invés de um espaço apenas informativo, a reunião buscará ouvir os jovens para estar mais antenada às necessidades da juventude urbana do mundo todo. Os jovens se encontram três dias antes do início do Fórum principal, que acontece dos dias 22 a 26 de março. O tema do FUM este ano é O Direito à Cidade: Unindo o Urbano Dividido. A Assembleia será dividida em diversas sessões de diálogo com assuntos como Juventude e Violência em Contextos Urbanos, Igualdade de Oportunidades: Jovens e o Direito à Cidade e O Papel da Arte na Transformação Social.

Além de debater sobre o tema principal, os jovens vão eleger o Conselho Consultivo de Juventude da ONU-HABITAT. O resultado do encontro é uma declaração dos jovens que será levada ao fórum principal. Segundo a promotora do evento na ONU-HABITAT, Tatiana Sampaio, a organização espera cerca de 800 jovens este ano.

ONU realiza Fórum Urbano Mundial pela quinta vez
Estima-se que, em breve, dois terços das pessoas vivam em cidades no mundo inteiro. Os problemas acarretados por esse inchamento urbano são vários e antigos: as cidades não se mostraram prontas a receber tanta gente. Atenta a isso, a ONU organiza desde 2002 o Fórum Urbano Mundial. Este ano, ele será realizado pela quinta vez, estreando em um país da América Latina. O FUM acontece do dia 22 a 26 de março, no Rio de Janeiro, e traz na programação autoridades de todo o mundo, especialistas e teóricos. Serão realizadas mesas redondas de ministros, prefeitos e parlamentares, entre muitas outras. Os armazéns da Zona Portuária do Rio de Janeiro, onde o evento será realizado, devem receber cerca de 50 mil pessoas.

Fórum Social Urbano é realizado em paralelo com Fórum Urbano Mundial
Em paralelo ao Fórum Urbano Mundial, os movimentos sociais organizam o Fórum Social Urbano, também dos dias 22 a 26 de março, no Centro Cultural da Ação da Cidadania Contra a Fome, que fica na Avendia Barão de Tefé, 75, Saúde, Centro do Rio de Janeiro.

A convocatória oficial do Fórum promete que o evento irá “desvendar a verdadeira cidade que pretendem esconder atrás de muros e tapumes”. Segundo Gustavol Mehl, da ONG Justiça Global e responsável pela assessoria do evento, a necessidade de realização de outro fórum surgiu da dificuldade de participação efetiva da sociedade civil no fórum oficial. “Há limites de inscrições para sociedade civil e as atividades propostas têm de ser aprovadas para serem realizadas”, afirma Gustavo.

A ideia do FSU é, então, garantir a participação ativa da sociedade civil, organizada ou não. Até agora, a programação prevê painéis, mesas e debates, exposição de vídeos e manisfestações culturais. Mas o Fórum está aberto a receber propostas de atividades autogestionadas até o dia 7 de março. Muitos participantes já confirmados estão também na programação do Fórum Urbano Mundial, que será realizado a cerca de 300 metros do FSU.

A pequena distância entre eles permitirá, segundo Gustavo, que este fórum alternativo atraia participantes, possivelmente insatisfeitos com a falta de participação no FUM. Organizam também o evento alguns órgãos de universidades do Rio de Janeiro, como o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da UFRJ.

Na quinta feira, 25, está prevista uma plenária final, de onde sairá uma carta das resoluções do Fórum Social Urbano.

Fonte: Observatório de Favelas

Veja tambem:
+ Assembleia Mundial da Juventude Urbana – 22 a 26 de março
+ Fórum Social Urbano – 22 a 26 de
+ Fórum Urbano Mundial – 22 a 26 de março
+ Fórum Social Urbano discute democratização das cidades

Um comentário:

Stol disse...

Essa mobilização é essencial para decisões que abrangem ao futuro das cidades e para fazer as pessoas se mobilizarem em prol das boas mudanças.
Paz pra geral.